domingo, 7 de março de 2010

RESPOSTA AO LEITOR



Um leitor (e petiano) do Blog escreveu o seguinte comentário:

"Eu quero só a resposta para uma pergunta!!!! Porque no Programa de Bolsas de iniciação Científica (PBIC) os bolsistas recebem as suas bolsas em dia??? E nós Petianos não???.... O que o PBIC é melhor que o PET??? "

A resposta da Diretoria da CENAPET, na longa e tensa história da gestão (ou falta dela ...) do PET no MEC se deve a diferentes fatores:

i) quando o PET estava na CAPES, até 1999, a gestão do PET era profissional e as bolsas não atrasavam. Ali havia uma divisão inteira de funcionários qualificados que faziam o Programa funcionar e existia, principalmente, um "assumir" do Programa por parte do governo;

ii) Durante o governo FHC, e a gestão ou indigestão do então Ministro da Educação (e hoje Secretário da Educação do Estado de São Paulo - cotado para ser Ministro novamente se eleito Serra), Paulo Renato Souza, o PET foi extinto, mas nossa luta, permitiu que este ato grotesco fosse barrado. No entanto, o plano maquiavélico foi o de transferir à força o PET da CAPES para a SESu, pois se sabia que esta última era extremamente burocratizada, anarquizada, inoperante e incompetente.

iii) Aliado à esta transferência e às constantes mudanças do PET em Divisões internas da SESu (DEPEM para DIPES depois para DIFES), aliado às gestões temerárias, inconsequentes e incompetentes, o PET encontra-se na situação atual de indigência dentro do MEC.

iv) a inoperância forçada pela Secretária da SESu, Maria Dallari Bucci (futura Ministra da Educação quando Fernando Haddad se desencompatibilizar do MEC para concorrer a deputado federal por SP), em não convocar o Conselho Superior do MEC, ajuda a deixar o Programa à margem de sua insolvência;

v) last but not least, temos que fortalecer cada vez mais nossa coletividade em prol do Programa e de seu futuro. Os últimos eventos ENAPET, feitos à revelia da CENAPET com temáticas não transversais, têm reproduzido, numa geometria fractalizada, a dissonância pretendida pelo MEC.

Na próxima reunião da CENAPET em Brasília tentaremos, como temos feito ao longo da história conturbada do PET, equacionar os problemas emergenciais e de futuro do Programa.

5 comentários:

Joyci disse...

é realmente uma pena que fiquemos abandonados por aqueles que deveriam se preocupar conosco e com nossa educação... mas "SOMOS BRASILEIROS E NÃO DESISTIREMOS NUNCA"... temos que aumentar nossas lutas e juntar nossas forças para reconquistar nossos direitos e sermos novamente respeitados como parte indispensável desta sociedade.

Anônimo disse...

Parabenizo vc por ter este blog e nos passar essas informações preciosas. Mas o descaso é geral e em todos os estados, escrevo do Paraná e por medo de ser demitido não me identifico. Dei 80 horas aula para professores no PDE em julho/09 e até hoje não vi a cor do pagamento. Usam nós professores universitários e não pagam e saem dizendo aos quatro cantos que estão capacitando professores da rede pública, ou seja, fazendo bonito com o chapéu alheio. Obrigado mais uma vez por ter esse espaço informativo para os bolsistas do PET e tutores.

Gabriel Coiso disse...

Outra pergunta: qual grupo PET no Brasil possui um cartão de crédito do grupo para pagar a inscrição em um evento do pet?
Pois é o que a organização do sudestepet está nos cobrando, e que pode inviabilizar a ida de muitos grupos para este encontro anual tão importante!!!

PET disse...

Boa noite, o seguinte trecho não está claro, poderiam explicar-me, por favor? "v) last but not least, temos que fortalecer cada vez mais nossa coletividade em prol do Programa e de seu futuro. Os últimos eventos ENAPET, feitos à revelia da CENAPET com temáticas não transversais, têm reproduzido, numa geometria fractalizada, a dissonância pretendida pelo MEC."

Agradeço desde já.

REDAÇÃO DO BLOG PETBRASIL disse...

respondendo ao leitor identificado como "PET" das 20:27 de 08/03:
- As temáticas do ENAPET deveriam transversalizar com as das Regionais para dar unifmormidade de reivindicações. A CENAPET sempre colocou esta necessidade, inclusive nas próprias gestões junto a SESu, no sentido de obter financiamentos (tentativas) dos eventos regionais e nacional.
Discutir Avaliaçao, por exemplo, seria um excelente tema transversal, pois o Programa está à deriva neste quesito (entre tantos outros possíveis).