terça-feira, 30 de março de 2010

REUNIÃO EM BRASÍLIA

Reunião na Comissão de Educação do Senado Federal

Reunião com o Prof. Murilo do MEC-SESu

Encontro com o funcionário Francisco do MEC-SESu
A reunião da Diretoria da CENAPET, gestão O PET QUE QUEREMOS, em Brasília hoje teve dois momentos:

i) na Comissão de Educação do Senado Federal e,

ii) no MEC-SESu (DIFES).

No Senado a discussão versou sobre as possibilidades de apoio da Casa para encaminhamento de documentos, pedidos de reuniões no MEC e de audiências públicas para esclarecimentos.

No MEC-SESU, fomos recebidos pelo Prof. Murilo Camargo, Diretor do DIFES, onde o PET está afeito.

Havíamos enviado à ele a pauta, de forma idêntica àquela já encaminhada pela Comissão de Educação do Senado no processo de intermedíação (idêntica também ao enviado ao FORGRAD).

O Prof, Murilo apresentou-se falando de sua formação acadêmica e do crescimento previsto para o PET neste ano.

Falou da criação, tal qual o PET-SAÚDE, do PET-CONEXÕES-SABERES e PET-INDÍGENA, patrocinados não pelo DIFES mas pela SECAD. Não deu muitos detalhes destes Programas quando questionado.

Sobre nossa gestão sobre a ampliação do Programa, afirmou que está pronto o Edital para a criação de mais 30 grupos para 2010. Falta ainda a análise da Jurídica para dar o via líbera para sua publicação no Diário Oficial.

Questionamos sobre a premência do reajuste das bolsas de alunos e tutores e disse que há predisposição para corrigir a bolsas do alunos (e não a de professores). Questionado sobre a não correção das bolsas-tutores, afirmou que ainda não há previsão para a discussão de novos valores, mesmo o atrelamento da Lei estabelecer esta questão.

Sobre o processo avaliativo, disse que uma nova Comissão de Avaliação foi montada, mas não revelou os nomes de seus componentes, afirmando que poderia já estar publicado no Diário Oficial (o que não se verificou posteriormente quando buscou-se esta informação).

Sobre a não convocação do CONSELHO SUPERIOR, tentou explicar que se devia a um conjunto de fatos, alegando "falta de fôlego"[sic] e de funcionários.

Tentou ainda justificar o atraso do pagamento das bolsas devido ao complexo caminho FNDE, plataforma, etc.

Afirmou ainda que as bolsas de fevereiro "estão no gatilho"e as de março se seguirão.

Reafirmamos a necessidade do reajuste e do pagamento pontual das bolsas.

Sobre os eventos regionais e nacional, pedimos o financiamento destes. Avaliou que deve chegar com bastante antecedência devido ao acúmulo de tarefas naquela Diretoria.

Mostrou-se favorável à alocação de recursos nos eventos tópicos do PET.

O saldo das visitas é positivo uma vez que pudemos conhecer as idéias do novo represetante do MEC no DIFES-SESu. No entanto, foram insatisfatórias muitas das gestões que continuam em aberto e na pauta de discussões.

Pedimos uma nova audiência e rodada de discussões para maio próximo.

Amanhã prosseguem as reuniões.

4 comentários:

Darlana Godoi disse...

O representande discente que está nestas fotos não renunciou em Manaus?

REDAÇÃO DO BLOG PETBRASIL disse...

Procede o comentário da leitora Godoi. A presença do discente ali se dava por dois motivos: por estar ali em Brasília e por ter feito parte da composição original da chapa O PET QUE QUEREMOS. A presença foi importante para aquilatar as reivindicações da CENAPET expostas em outros posts deste Blog.
Agradecemos a leitura do Blog e o comentário.

Daniel disse...

Cara Darlana,
Apesar de já esclarecido em comentário anterior, reforço que me fiz presente na agenda de reuniões da CENAPET não como Representante Discente Nacional, mas como membro eleito e colaborador da atual gestão da Diretoria desta.
Os atuais diretores discentes estavam impossibilitados de comparecer as reuniões por motivos acadêmicos, e achamos pertinente que, mesmo na condição atual de egresso, participasse de encontros tão importantes na luta pelo PET.
Neste sentido, não poupei esforços na interlocução pelos alunos do PET, em especial na terrível questão das bolsas que voltaram a atrasar, além de buscar a garantia do aumento desta, visto que o ‘gatilho’ foi acionado com o aumento das bolsas PIBIC. Fui PETiano por mais de quatro anos, e sei da relevância deste tema para todos os membros do PET, não apenas pela questão do dinheiro em si ( que é importante para a própria manutenção de muitos colegas na universidade) mas também pela valorização do trabalho de excelência que é realizado no programa.
Outros pontos significativos de nossa luta estão relatados neste respectivo post e sugiro que dê uma olhada com atenção, para que sintas que nosso trabalho não é – e nunca será – em vão.
Por fim, acredito que nós egressos, temos duas opções ao término de nossa caminhada petiana: ou seguimos lutando pelo programa que tanto acreditamos, ou “lavamos as mãos” dizendo que os problemas que afetam o PET não são mais os nossos. Pensando bem, há ainda uma terceira escolha: além de não ajudar, ainda se pode atrapalhar, mediante críticas pouco ou nada construtivas – por vezes, no âmbito pessoal – contra quem trabalha na defesa do PET e de toda a sua comunidade.
Eu já fiz minha opção. E estar em Brasília neste momento (por minhas próprias expensas, sem qualquer espécie de auxílio) indica qual foi.
Obrigado pela audiência, e esperamos tuas contribuições com mais freqüência neste espaço.

Saudações petianas,

Daniel Vallerius
Egresso PET Geografia / UFRGS
Ex-Representante Discente Nacional do PET
Membro da gestão CENAPET 2008/2010 – O PET que queremos.

Anônimo disse...

Daniel,

Só temos a agradecer a sua presença nesses momentos, ainda mais por ser um petiano egresso que ainda se preocupa com as nossas causas e com o Programa como um todo. Parabéns!

Gabriel G. Barbosa
PET Engenharia Civil - UFPR