sexta-feira, 31 de agosto de 2012

A REVOLTA CONTRA O MEC E A PIADA DO DIA...


Começam a se erguer manifestações contra o MEC-SESu por sua ingerência e destruição tanto do PET quanto do CONEXÃO-SABERES. Mas também, a reboque, é uma manifestação contra a falecida CENAPET, hoje CENAMEC. A Carta de Pernambuco, que questiona a política de nenhuma interlocução com o MEC, de desfiguração da filosofia do Programa CONEXÃO, da atribuição de deveres aos grupos (p.ex., o de promotor de censos educacionais de evasão e reprovação), além de outros itens, demonstram que a comunidade está cansada de não ser representada. Além do mais, tutores já se movimentam para um evento distante da CENAMEC, para questionar, finalmente (!!), as desfigurações do PET inerentes ao recém-lançado (e caduco!) novo Edital para 60 novos grupos.
Ninguém pode ser enganado a vida toda por um discurso de 'CONCILIAÇÃO'  e 'INTEGRAÇÃO DE CAMINHOS'. Todos já perceberam que a atual direção da falecida CENAPET, e a gestão passada (que são os mesmos, óbvio!) - biênio 2010-2012 - representam os interesses do MEC e se caracterizam pela política de 'RENDIÇÃO' (incondicional) e 'DESINTEGRAÇÃO DE CAMINHOS'.
Sabujismo e vassalagem é o que caracterizam estes e todos aqueles que destroem a História.
Porém, a pior piada do dia é a de um membro da CENAMEC que está propalando, sobre a Carta de Pernambuco (que se constituirá num documento assinado por tutores e que corre pela internet), que "os canais de diálogo e intervenção precisam ser abertos e a CENAPET deverá protagonizar isso" [sic]. Ha, ha , ha ...
Para quem até agora protagonizou a vassalagem ao governo, a única coisa que poderá protagonizar é a tentativa de sufocamento de movimentos hostis à SESu e aos interesses imediatos da direção da CENAMEC.
É precio reagir: NON PASARÁN!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

BOLSAS NÃO PAGAS ... E A "CONCILIAÇÃO=RENDIÇÃO INCONDICIONAL" CONTINUA...


Graças a mais um ato administrativo, que cabe ser avaliad,o milhares de petianos estão com suas bolsas atrasadas este mês.
Na SESu, obviamente, ninguém responde a telefonemas, emails, faxes, telex, telegramas, sinais de fumaça ...
Política de avestruz, ..., mas de competência sempre questionável.
Aliás, "competência competência" mesmo, só a de desfigurar o PET e cooptar uma CENAPET moralmente falida (sob a atual administração). Nisso devemos tirar o chapéu: a SESu atual é muito competente em seu esforço de destruição e de fabricar Joaquins Silvério dos Reis às dezenas!
Revolta Brasil!

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

HISTÓRIA RÁPIDA DO PET PARA INICIANTES (TUTORES E ALUNOS)



- O PET foi fundado em 1979. Nasceu na CAPES, onde ficou até o início dos anos 2000;
- O PET manteve seu desenho original até 1997;
- Em 22 de dezembro de 1997, o MEC tentou desmontar o PET cortando: metade de seus bolsistas/grupo; metade da verba de custeio; uma bolsa de mestrado que era associada ao Programa; e verba para professor-visitante ao grupo (que existia até então);
- 1997/1998: nasce o movimento de resistência contra a extinção do PET: inicialmente na UEM e na UFSM. Nascem as redes de resistência:  "raimundos" (UFSM), "petbr" (UNESP), PET-REAGE (UEM);
- Em março e dezembro de 1998 são feitas duas manifestações de rua em Brasília contra a extinção do PET;
- A então EXECUTIVA NACIONAL DO PET (composta pelos professores Carlos Costa, Dante Barone, Izaura Kuwabara, Marcos Danhoni) faz gestões junto à Câmara Federal e Senado, especialmente nas Comissões de Educação das duas Casas;
- Em 1998 é realizada uma Audiência Pública na Câmara Federal em prol do PET;
- Em 1999 é lançado pelo MEC um ofício de extinção total do PET. Em setembro é realizada a maior manifestação de rua em Brasília contra a extinção. No mesmo dia e no mesmo instante da Manifestação é realizada uma Audiência Pública na Comissão de Educação do Senado. O MEC é obrigado a rever suas posições e revoga o Edital de extinção;
- Esta passeata e a Audiência foram notícias de primeira página (ESTADÃO, O GLOBO, FOLHA DE S. PAULO, CORREIO BRAZILIENSE, etc.), especialmente porque o presidente FHC foi vaiado pela turba de tutores e alunos enquanto se despedia, na rampa do Planalto, do Presidente da Namíbia Sam Nujoma;
- De 2000 a 2002, Edital revoga o pagamento de bolsas de tutores. Com esta medida, o MEC visava extingui o Programa pensando que os tutores abandonariam seus grupos. Houve uma desistência inferior a 10% do total de tutores;
- De 1998 a 2002 o Programa ficará sem avaliação. Este era um dos itens de reivindicação do Movimento e  da Executiva Nacional.
- A Executiva Nacional do PET, apoiada pela Assessoria Jurídica do ANDES, interpõe recurso na Justiça para o retorno do pagamento das bolsas dos tutores;
- O PET é transferido da CAPES para a SESu (ali passará pelos seguintes departamentos: DEPEM, DIPES, DIFES, SECADI);
- Em 2002, a Profa. Izaura Kuwabara (hoje falecida) organiza o evento de Avaliação Nacional do PET no auditório da UFPR (Universidade Federal do Paraná). Este evento, graças à pressão do Movimento capitaneado pela Executiva Nacional, é bancado pelo próprio MEC;
- Em 2002 a Executiva dialoga com os dois então candidatos à Presidência da República: Luis Inácio Lula da Silva e José Serra, para que contemplem em seus Programas de governo o PET. Somente a equipe de Lula faz isso num documento exclusivo sobre a EDUCAÇÃO BRASILEIRA;
- A Executiva dialoga com a equipe de transição de governo: fica agendada reuniões de discussão para a reinvenção do PET, uma nova metodologia (qualitativa) de avaliação, a recomposição dos grupos, a volta das taxas acadêmicas e do pagamento das bolsas dos tutores;
-  O Movimento, através da Executiva, colabora durante mais de cinco anos no Congresso Nacional para a redação de emendas orçamentárias para que contemplassem o PET. Esta estratégia foi vitoriosa em todos estes anos;
- Na SESu, a Comissão da Executiva (composta pelos tutores Carlos Costa, Dante Barone, Izaura Kuwabara, Marcos Danhoni) e mais quatro professores especialistas em avaliação qualitativa (incluindo aí a Profa. Maria Viggiani Bicudo), reestruturam o processo avaliativo, com a invenção da CNA (Comissão Nacional de Avaliação), CLAA (Comissões Locais de Acompanhamento e Avaliação), com relatórios institucionais (ao invés da remessa, como é feita hoje, de todos os relatórios para a SESu). Não há distinção de áreas de conhecimento, pois a Comissão estava empenhada numa visão não cartesiana do PET;
- Em 2003, após sugestões da Executiva, o então Ministro da Educação, Christovam Buarque, muda a denominação do PET, de "Programa Especial de Treinamento" para "Programa de Educação Tutorial";
- Neste ano o ENAPET e a SBPC são realizados conjuntamente sendo a palestra de abertura do ENAPET feita pelo Ministro Christovam Buarque;
- O Ministro determina o retorno do pagamento das bolsas de tutores, e que o pagamento deveria ser feito por intermédio da CAPES (O Presidente da CAPES, à época e ainda hoje no cargo (!!!), Jorge Guimarães, resiste à esta medida, mas a cumpre, à contragosto);
- O Ministro Christovam é demitido do cargo enquanto estava em viagem a Portugal à trabalho do Governo Lula;
- Em 2003 são lançados dois livros sobre a história do PET: "PET: Correspondências de uma Guerra Particular", do Prof. Marcos Danhoni e "Qualidade no Ensino Superior: a Luta em defesa do PET", da ex-representante discente nacional da Executiva do PET, Angelica Muller;
- Em 2005, com mudanças radicais na SESU (para pior!), a CNA é dissolvida, os CLAAs perdem sua função avaliativa e a avaliação passa a ser feita de forma quantitativa e por divisão de áreas de conhecimento. Começa o longo e doloroso ocaso do PET: mudanças para pior!
- Em 2006 é feita a última passeata do Movimento pelas ruas de Brasília, assim como na SBPC, usando um caixão que foi imortalizado pela imprensa nacional (de posse da UEM);
- De 2005 em diante, a SESu é infestada por quadro carreiristas tirados de divisões de partidos políticos no abocanhamento de cargos para satisfazer a fome de partidos. Nesse processo, gente sem qualificação técnica ou profissional começa a dilapidar de vez o imenso patrimônio cultural e a própria História do PET;
- "Profissionais" sem gabarito, mas ansiosos por mudanças que "inscrevam seus nomes" na (soleira) da História, impõem perdas consideráveis à essência do Programa: reestruturação do Manual de Orientações Básicas (feita a toque de caixa); mudanças no processo avaliativo; imposição de plataforma não funcional (SIGPROJ); contratação (sem licitação!) de empresa Júnior (pasmem!!!!) para fazer uma inócua avaliação de egressos (coincidentemente, esta "empresa" era liderada por um dos artífices do PROIFES em seu Estado); tentativa de impor rotatividade tutorial;
- Graças à luta da Executiva Nacional no Congresso Brasileiro, o então Ministro, Fernando Haddad, que em 2005 impusera a "Lei do PET", recua, corrige a Portaria da Lei, e elimina a rotatividade de 3 anos para tutores;
- De 2006 em diante novas excrecências nascem no PET: PETs temáticos, PETs Saúdes (porque a mulher do Ministro trabalhava na Pasta da Saúde), PETs Licenciaturas, etc. Denigre-se a imagem da indissociabilidade Ensino-Pesquisa-Extensão e atenta-se contra a autonomia dos grupos;
- Em 2006 é eleita a primeira direção da CENAPET, com a presidência do Prof. Dante Barone;
- Por meio da luta da Executiva os eventos nacionais do PET (ENAPET) passam a ser financiados: a CENAPET luta por uma expansão ordenada do número de grupos, da volta dos CLAAs, e por reuniões regulares do Conselho do PET no MEC;
- Em 2008 é eleita a segunda direção da CENAPET, sob a presidência do Prof. Marcos Danhoni, com bate-chapa no ENAPET realizado em Campinas-SP. Um tutor, hoje elemento ativo do PROIFES, comanda batedores de sinos de vaca para tumultuar o processo eleitoral, mas em vão;
- Intensificam, nas gestões 2006-2008; 2008-2010, as relações da CENAPET com a ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos), UNE e SBPC. A CENAPET é co-organizadora dos Salões da UNE e dos Encontros de Pós-Graduandos da ANPG;
- A partir de 2008, a divisão política no MEC, com o enxerto de elementos estranhos à educação brasileira, se acirra. Funcionários sem currículos, mas com uma vontade napoleônico para o desastre passam a ditar as regras para o fim do PET, resultando no desastre da Portaria 976!
Hoje imperam na administração do PET na SESu: a arrogância, a cooptação, a cassação política, o enxerto de programas, a desfiguração completa.
Fora isso, é de se destacar a morte da CENAPET, substituída pela administração dessa ex-Comissão em 2010 e eleita agora por menos de 5% dos presentes no ENAPET. Nenhuma representação e total cooptação do MEC: Desastre e vergonha,é o que definem a situação atual do PET!!!
Para aqueles que não desistiram é necessário resgatar a História e presentificá-la.
Basta de cooptações, traições e cassações!
Será necessária uma luta aguerrida e sem tréguas contra todo este arbítrio!
Então, lutemos!
Muda Brasil!!!!


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

CASAMENTO SESu-CENAMEC VAI MAL !


O surpreendente casamento SESu com a CENAMEC (ex-CENAPET) está indo de mal a pior. O noivo SESUíno, que acenava para a noiva CENAMEC'zinha por uma união amistosa, e esta com um comportamento digna de uma cordeirinha, qual seja: conciliadora e de integrar os caminhos dos nubentes, foi surpeendida com a queima de seu belo véu, em forma de rabo de serpente e novo Edital do PET.
Os "convidados"  (a contragosto...) abandonaram o arroz que usariam na saída dos nubentes [também a contragosto] e prometem jogar muitos ovos e leguminosas nessa desonrosa união!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

UM POUCO DE SCHOPENHAUER


"Quanto mais insignificante é o homem intelectualmente, menos estranha e misteriosa é para ele a existência."

RECORDAR É VIVER: A FUGA DO PRESIDENTE DA CENAMEC ...


Vale a pena relembrar para que possamos compreender o passado recente (últimos dois anos), o presente e o futuro (?!?). O Presidente da hoje assim denominada CENAMEC fugiu do repórter Paulo Saldanha do ESTADÃO, provavelmente para não comprometer sua política entreguista ...ops... política de "conciliação" com o MEC... tsc tsc tsc ...
Quem viu o novo EDITAL da SESu, que efetivamente destrói o PET, sabe o que significou esta "conciliação".
À este tipo de política a História dá um nome, que nem precisamos recordar aqui dada a sua obviedade !!!

NOTÍCIAS DE UM NAUFRÁGIO ... (no words...)


sábado, 18 de agosto de 2012

PRO-IFES (FORTALEZA) E PET-IFES (FORTALEZA-BRASÍLIA)


Novamente nosso contador SITEMETER flagra duas "chiacheras" entre MANIPULADOR-MANIPULADO. A ignomínia prossegue, aberta, cruel e toscamente!

SESu EM PELOTAS ....uuuiii, como dói!


SESu = MEC
PELOTAS = CENAMEC ...
(no more words!)

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

ASSANGE DEVE FALAR !


NOVAMENTE A CONEXÃO PELOTAS (CENAMEC) e MEC, FLAGRADA PELO CONTADOR SITEMETER



Mesmo operando com um "distrator"  de contagem [que aparece com "unknow"  - mas nós sabemos...- we know...], o contador de acessos [e geográfico] SITEMETER, flagrou nova conexão PELOTAS-BRASILIA, ou seja, CENAMEC-MEC. Incomodados com as críticas e ansiosos por sufocá-las como vêm fazendo no caso do tutor recém-cassado, a comunicação passa a ficar mais incessante, porém, flagrante!
Os subterrâneos do poder às claras ...

JÁ NO BRASIL, CAMPEIA A INJUSTIÇA, O JUSTIÇAMENTO, A CASSAÇÃO


Vassala do MEC-SESu, a UFRJ prossegue em sua nada honrosa tarefa de excluir um tutor legítimo e patrocinar todos os atos possíveis de ilegalidades flagrantes, com o aval do Planalto.
Vamos aos fatos:
- A SESu deu legalidade a uma avaliação, onde a responsável pela avaliação daquela área específica do conhecimento (SAUDE) revelou em alto e bom som (no egroup de tutores) que dois "ad  hocs"  não efetuaram a avaliação; que ela própria a fez; e que usou de critérios subjetivos, como, p.ex., consultar os "colegas de departamento"  do tutor excluído, e referendar suas "suspeitas";
- A UFRJ, sem ter como balizar a expulsão, assegurou-se pelo critério do tutor ser "apenas MESTRE";
- A UFRJ impôs uma tutora, que ficou no grupo, sem ter administrado uma unica reunião do grupo, ganhando uma bolsa por mais de seis meses a fio (sem trabalhar! E a SESu tem ciência dessa irregularidade brutal);
- A UFRJ, diante de todas as flagrantes irregularidades, insistiu na manutenção da exclusão e propôs um Edital para "selecionar" novo(a) tutor(a), mas,..., PASMEM (!!!), ..., abrindo para a possibilidade de MESTRES ... (veja reprodução do DIÁRIO OFICIAL acima).
O processo de cassação do tutor é político, motivado por fatores subjetivos e dentro da tirânica lógica da SESu de afastar pessoas "incômodas" e  apagar a memória da resistência que permitiu ao PET chegar até os dias de hoje.
O Ministério Público deverá saber agir em casos de tamanha prevaricação!
À luta, Brasil!

NO (more...) WORDS!


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

NO EQUADOR EXISTE JUSTIÇA, RESPEITO E DEMOCRACIA: VIVA ASSANGE



QUITO, 16 Ago (Reuters) - O Equador concedeu asilo político ao fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, afirmou nesta quinta-feira o chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, um dia depois de o governo britânico ameaçar invadir a embaixada do país sul-americano em Londres para prendê-lo.
A Grã-Bretanha afirmou que está determinada a extraditar o ex-hacker para a Suécia, onde é acusado de abuso sexual. Assange irritou Washington em 2010 quando o WikiLeaks publicou documentos diplomáticos secretos dos Estados Unidos.
"O Equador decidiu conceder asilo político a Julian Assange após o pedido enviado ao presidente", disse Patiño em entrevista coletiva em Quito.
Ele argumentou que a segurança pessoal de Assange corria riscos, que era provável a extradição para um terceiro país sem as garantias apropriadas e que evidência legal mostrou que ele não teria um julgamento justo se fosse eventualmente transferido para os Estados Unidos.
"É uma decisão soberana protegida pela lei internacional. Não faz sentido supor que isso implica uma quebra das relações (com a Grã-Bretanha)", acrescentou Patiño.
A Grã-Bretanha reagiu ao anúncio, dizendo estar desapontada com a decisão do Equador em favor de Assange, que está abrigado na embaixada equatoriana em Londres há dois meses.
"Estamos desapontados com a declaração do ministro de Relações Exteriores do Equador, de que o país ofereceu asilo político a Julian Assange", afirmou o porta-voz do Departamento de Relações Exteriores britânico.
"Sob a legislação britânica, o senhor Assange exauriu todas as suas opções de apelação e as autoridades britânicas têm a obrigação de extraditá-lo para a Suécia. Nós devemos cumprir esta obrigação", acrescentou o porta-voz.
Mesmo com a concessão do asilo, Assange tem poucas chances de deixar a embaixada do Equador em Londres sem ser preso.
Há especulações de que ele poderia ir a um aeroporto em carro diplomático, ser "contrabandeado" em uma mala diplomática, ou mesmo ser nomeado diplomata equatoriano para que consiga imunidade.
Mas advogados e diplomatas dizem que esses cenários são impraticáveis.
O presidente do Equador, Rafael Correa, diz ser inimigo da mídia "corrupta" e do "imperialismo" dos Estados Unidos e faz parte do bloco de esquerda dos líderes sul-americanos.
Patiño considerou a ameaça britânica de invadir a embaixada de "brutal" e destacou que o único modo de Assange viajar ao Equador seria se a Grã-Bretanha concedesse passe livre para ir a um aeroporto.
(Reportagem de Eduardo García)

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

FLAGRANTE?!? O QUE NOSSOS CONTADORES REVELAM SOBRE AS RELAÇÕES PRO-IFES, PET-IFES E MEC


Novamente nosso contador de acessos e de localização geográfica, SITEMETER, flagrou uma visita quase simultânea vinda de Fortaliza-CE e Brasília-DF, como mostra o extrato acima.
Provavelmente esta é a mesma conexão que se liga no esforço do MEC na destruição do PET e na edificação da CENAMEC e do PET-IFES.
Quem duvidar, é porque é cego diante de todas as evidências cristalinas que estamos assistindo hoje ...

OS MÉTODOS DA RUÍNA DO PROIFES NA UFC E SEUS REFLEXOS NO MOVIMENTO PET ...


Durante sete anos consecutivos, como as sete pragas do Egito, pessoas ligadas ao PROIFES trabalharam para detonar a organização da CENAPET, como movimento autêntico, de luta, e contra as decisões messiânicas de desfiguração do PET. Estes elementos inflitrados passaram estes anos todos bagunçando assembléias, com seus sinos de vaca e sua verve adesista in extremis. Porém, como todo TITANIC, esta gente encontrou seu destino histórico.
O episódio que está acontecendo ruidosamente na UFC, capitaneado por um destes que no movimento PET trabalhou ativamente para destruir a CENAPET e transformá-la na na CENAMEC, mostrou que os docentes da UFC não querem ser liderados pelo PROIFES e, em plebiscito, decidiram rejeitar a proposta que o sindicato havia toscamente aceito do governo, em prol da continuidade da greve e, sobretudo, da AUTONOMIA.
Infelizmente, a CENAPET está morta, transformada nesta ignomínia absoluta que é a CENAMEC. O grau de simbiose com o PRO-IFES é tanto que podem ser designados por PET-IFES, como já foi divulgado aqui.
Porém, também nestas searas as máscaras cairão. Não é possivel que a  comunidade petiana, feita de gente com discernimento, compactue com:
- mortalidade tutorial imposta pelo governo;
- cassação política de tutores;
- desfiguração do PET em prol do enxerto de outros Programas;
- desfiguração via Editais onde projetos nascem sem autores, sem conteúdos, sem a essência da Educação Tutorial..
Vamos mostrar, como os docentes da UFC, que independência e autonomia são valores que nos enaltecem e que nos cobre de dignidade!
À luta, Brasil.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

FLAGRANTE?!? O QUE NOSSOS CONTADORES REVELAM SOBRE OS SUBTERRÂNEOS DO PODER ...





Nossos contadores registraram a "visita" ao Blog de BRASÍLIA e PELOTAS. De um, a sede da SESu; de outro, a sede da subserviente e hoje denominada, CENAMEC.
Podem ser personagens diferentes a terem visitado o Blog tão tarde da noite, mas ficará sempre a dúvida, somada a todos os vergonhosos episódios que hoje maculam a história anteriormente exitosa do PET e daqueles milhares que lutaram para sua não extinção.
Podemos estar aqui assistindo ao fotograma do "ground zero" da cooptação mais explícita e tacanha que o PET já tenha vivido.
Basta!!!

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

SOBRE POLÍTICAS ANTI-REPUBLICANAS


A foto acima é o exemplo daquilo que queremos julgar, punir e lutar para que não retorne os tempos da barbárie que marcou uma longa noute de 21 anos em nosso país.
Porém, apesar de outros ventos, e sob nova administração, mas desta vez democrática, escondem-se personagens espectrais, kafkianos, vilãos, que trabalham ativamente em macular a história seja da própria Presidenta Dilma, seja da democracia.
O caso da cassação política de um tutor, com história amplamente conhecida, é um destes casos lapidares:
- usando da cooptação mais ignóbil que um órgão do governo podia  executar, destruiu uma instância de luta por "espelhinhos", "badulaques" e assentos em Conselhos inúteis;
- usando de avaliações subjetivas e da vassalagem de setores cooptados, empreendeu uma cassação política de tutor, mesmo tendo TODA INFORMAÇÃO, de que a substituição deste tutor se fez ao arrepio da Lei (sem processo de seleção, sem perfil tutorial, sem homologações, mas fazendo o depósito mensal a uma tutoria inexistente fisicamente, etc.).
Tudo isso é do conhecimento da SESu. Porém, a ânsia de destruir todo o movimento que permitiu o PET chegar à sua terceira década de existência, igualou estes funcionários kafkianos aos espectros que assombram esta poderosa foto da então guerrilheira Dilma Roussef na longa noite do AI-5.
Em nossa longa noite do AI-18 (i.e., da Portaria 976), funcionários ao estilo nada hilário do Lord Farquaad (de Shrek), ou ao estilo destes dois déspotas que escondem o rosto na foto, vão empreendendo o enterro da democracia; o enterro do amplo direito de defesa; a elevação da ilegalidade, da pulsilanimidade, do arbítrio mais tosco!
É hora do Ministério Público Federal se manifestar. Deixar um pouco de lado o Mensalão e analisar juridicamente o que ocorre nos pequenos gabinetes de vários anões que se acreditam gigantes! Gigantes na arrogância! Gigantes de um mundo microscópico que, ansiamos, seja extinto o mais breve possível!
Muda Brasil!

O MURO DO PET ...


CENAMEC: É ... O TCHU!


SOBRE MAIS UMA AVALIAÇÃO FRAUDADA ...


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

SESUÍNO MATA SINHAPETzinha ... (not for laughs ...)


Sesuíno, como coronel que desconhece a lei e a República, está patrocinando matanças, mas o que ele não sabe é que a Lei ainda existe e vai pesar sobre ele ...

terça-feira, 7 de agosto de 2012

VERDADES SOBRE PET-IFES E CENAMEC ...


Em 2010, formou-se uma chapa única, a proto-(DES)INTEGRANDO CAMINHOS.
Sua ação se baseava numa aproximação tão radical da SESu que hoje está simbióticamente ligado à ela, ou seja, destruiu-se a CENAPET e formou-se a CENAMEC (Comissão Executiva Nacional do MEC em detrimento do PET). Nessa simbiose, ficou acertado:
- a aceitação integral do AI-5 do PET, quer dizer, da Portaria 976;
- aceitação da tunga na tempo de tutoria, aceitando o golpe de trocar todos os tutores que atuaram de forma decisiva para a não extinção do PET, a serem extintos no prazo de 3 a 6 anos;
- aceitação de avaliações duvidosas e com viés de cassação política;
- aceitação integral da desfiguração do PET e do CONEXÃO-SABERES;
- aceitação de um "casamento forçado" entre dois Programas radicalmente distintos.
Além de todo o enterro da CENAPET, infiltrou-se na organização hoje denominada CENAMEC, um elemento-tutor do PRO-IFES. Passou anos criticando a ação da CENAPET histórica que não se vendeu ao Governo, manipulando massas, soando sinos de vaca-e-bodes, mas sempre sem sucesso em sua pequenez e miopia política.
Porém, dentro da CENAMEC, confessou seus desejos mais inconfessáveis de total adesão ao MEC, assim como o PROIFES vinha fazendo: procedeu-se, pois, à transição CENAMEC - PET-IFES, consolidando-a como se viu na eleição insignificante que se verificou no ENAPET [sem representatividade, amalgamada como outra eleição fraudulenta de "avaliadores'... como se avaliadores nacionais pudessem ser "eleitos" num espaço que mal contava com representatividade de tutores, áreas e competências! ...]
Resumo da ópera: a CENAPET morreu!
O MEC enriqueceu com a traição daqueles que resolveram extinguir a história.
Isso tem um nome: VERGONHA, VERGONHA, VERGONHA ...
(ad infinitum ....)

A VERGONHA DO PRO-IFES E SEUS REFLEXOS NO PET-IFES (EX-CENAPET sob a administração atual)


SOBRE O CINISMO MORAL E POLÍTICO DA ADUFC-PROIFES

O cinismo enquanto problema moral pode ser traduzido pela expressão de um
comportamento falso travestido de verdadeiro. O cínico faz crer ao seu
interlocutor que expressa o que acredita quando, na verdade, pensa algo
completamente diverso. O que assistimos no comportamento dos diretores do
Proifes-ADUFC é o cinismo não exclusivamente como problema moral, mas,
sobretudo, como problema político. Como questão da política contemporânea,
o cinismo é a adoção de falsas premissas na construção de uma agenda e
pauta de atuação. Se revisarmos alguns dos episódios que vivenciamos,
veremos que estávamos diante de cínicos nas concepções política e moral:

1) A ADUFC repetiu exaustivamente o discurso de que é a favor da
negociação. Quando o Governo abriu a possibilidade de negociação, membros
do Proifes se negaram a negociar e assinaram logo um acordo;

2) Os membros do Proifes-ADUFC sempre defenderam que respeitariam as
decisões da maioria dos colegas. Professores de 53 universidades federais
rejeitaram a proposta do Governo através de assembleias. Uma "consulta
eletrônica" (com número insignificante de votantes numa comparação com o
total de professores e sem qualquer transparência na apuração dessa
consulta) é usada como pretexto pelos diretores do Proifes para assinar um
acordo com o Governo;

3) Ao perderem uma votação durante a última assembleia, os diretores da
ADUFC se retiraram da assembleia quando deveriam ter continuado já que usam
o discurso do respeito à decisão das maiorias;

4) O Proifes-ADUFC defendia uma equiparação com os pesquisadores de órgãos
do Ministério da Ciência e Tecnologia. O Governo descumpriu todos os pontos
propostos pelo Proifes e, a partir de uma interpretação confusa, a ADUFC
lançou uma nota orientando os professores a aceitarem o acordo por todos os
pontos terem sido cumpridos;

5) O Governo apresentou uma proposta dizendo ser a única possível. Membros
do Proifes-ADUFC foram contrários à proposta. Vinte e quatro horas após a
reunião com o Governo em que as entidades sindicais rejeitaram a proposta
inicial, foi apresentada uma nova proposta sem mudanças significativas em
relação à anterior. O Proifes-ADUFC mudou o discurso. Por qual razão
mudaram o discurso se a proposta é praticamente a mesma em relação à
anterior. Agiam com sinceridade ou cinismo?;

6) O mais grave, nesse momento, parece-me o discurso da "democracia" que
viria com a realização do plebiscito. Primeiro, acho importante refletirmos
sobre o que está se chamando aqui de "democracia". Se a maioria dos colegas
for realmente a favor do acordo com o Governo e contra a continuidade da
greve, essa mesma maioria não precisa de plebiscito. Basta ir à Assembleia
e expressar isso. O falso dilema está em se acusar os que são contra o
plebiscito de serem anti-democráticos. Na verdade, o que querem é a
continuidade das negociações porque os pontos que fundamentaram a
deflagração da greve simplesmente não foram atendidos. Quem está sendo
anti-democrática é a direção da ADUFC que deveria continuar negociando e
defendendo a greve;

Ninguém é a favor de uma greve infindável. O razoável é que as entidades
sindicais continuem negociando a até, pelo menos, o final de agosto
avançando em alguns pontos e discutindo com os colegas professores onde é
possível flexibilizar em outros. Essa relação deve ser pautada pela
transparência. Aceitar simplesmente discursos como "estamos em crise
financeira internacional" e "não temos dinheiro", sem conhecer o real
quadro, é atuar com cinismo, pois o discurso pró-educação permeia discursos
políticos de membros do Governo já fa z algum tempo. O mais grave é que o
cinismo enquanto problema político rebaixa o nível da discussão para a
escolha entre "o ruim" e "o menos ruim", empurrando alguns colegas a
aceitarem equivocadamente qualquer ganho (e no caso dessa proposta não há
ganho algum) sob o temor de não conseguirem absolutamente nada (que é o
fato atual).

A velocidade dos acontecimentos exige ações precisas sob o risco de se
assumir uma falsa premissa como verdadeira e se pagar o preço pelo
rebaixamento ao nível que a ADUFC chegou, expressão máxima da falência de
um sindicato como estrutura representativa legítima, relevante e
independente. Literalmente, APEQUENOU-SE...

Luis Celestino
Professor do Campus Cariri (Comunicação Social – Jornalismo)

sábado, 4 de agosto de 2012

DE PRO-IFES, CENAMEC E PET-IFES


Um leitor pergunta ao Blog se a nova denominação da CENAPET deveria ser CENAMEC ou PET-IFES, graças às similaridades com a formatação, a "conciliação",  e o INTEGRANDO CAMINHOS com o Sindicato pelegado PRO-IFES.
Queremos receber sugestões dos leitores: CENAMEC ou PET-IFES?
A sorte está lançada ...

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A VERGONHA DO PROIFES É DA MESMA NATUREZA DA CENAMEC


O Governo patrocinou o "nascimento"  de um sindicato de docentes pelegado chamado PROIFES para bater a velha ANDES  e evitar questionamentos da política salarial para professores e funcionários do Ensino Superior e da política como um todo para as Universidades Públicas.
No movimento PET, um desses neo-pro-ifesanos passou anos tentando "integrar" e "conciliar" caminhos, ou seja, pelegar a CENAPET. Conseguiu! Mediante uma (hoje:...) CENAMEC totalmente domesticada pelo Governo, prestes a trucidar toda a história do PET.
A eleição ilegítima que ocorreu no ENAPET só demonstra tudo isso!
Porém, o que o MEC não contava na questão do PROIFES é que a velha ANDES ainda tem muita lenha para queimar como sindicato que se opõe ao bovinismo pro-ifesiano.
Neste contexto MACRO, temos o contexto micro, e idêntico do que o governo fez com o PET.
Vejam, por exemplo, o que saiu no DIARIO DO NORDESTE sobre o comportamento reprovável do PROIFES e de seus "dirigentes":
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1165463

IMPASSE

Professores da UFC decidem manter greve


31.07.2012
Diretorias de sindicatos queriam plebiscito para decidir se aceitavam a proposta do governo, mas foram voto vencido
Em uma assembleia tumultuada, os professores da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) decidiram dar continuidade a greve, deflagrada no dia 12 de junho. A reunião aconteceu na manhã de ontem, no Campus do Pici.

Na assembleia, 174 professores votaram contra o plebiscito, enquanto 162 aprovaram a proposta. O clima foi de tumulto e as diretorias dos sindicatos deixaram a sala e se recusaram a votar as propostas dos docentes Foto: Marília Camelo
Durante mais de três horas, a diretoria e a categoria discutiram a possibilidade ou não de um plebiscito para resolver se aceitavam ou não a nova proposta do governo, feita no dia 24. O Ministério da Educação (MEC) ofereceu reajuste salarial de 25% a partir de março de 2013. Os grevistas mantêm a reivindicação de 40%.

As diretorias do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (Adufc) e do Sindicato de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), que compuseram a mesa, se posicionaram a favor do plebiscito que, se tivesse sido aprovado, deveria ocorrer hoje e manhã.

Contudo, os professores rejeitaram a segunda proposta e chegaram a dizer que "o Proifes não os representava" e a chamar o sindicato de "sucursal governo".
Votação
A categoria decidiu, ainda, contra o plebiscito. Neste momento, a diretoria se retirou da sala e se recusou a votar as propostas dos professores que ainda seriam apresentadas. Enquanto saía, o professor Marcelino Pequeno, presidente da Adufc, foi chamado de golpista e acusado de estar manipulando o andamento do movimento.

Segundo Marcelino, "o melhor instrumento seria a consulta ao conjunto de professores por meio do plebiscito, e não somente aos que puderam estar na assembleia. Com esta decisão, os fatos, estão indeterminados e indefinidos".

Em nota, a diretoria da Adufc lamentou a decisão de "tirar o direito dos professores de se manifestarem democraticamente por meio de um plebiscito".

Um representante da categoria será enviado a Brasília para se engajar no Comando de Greve amanhã, quando o Proifes e o Adufc terão um encontro com o Governo, na Secretaria de Planejamento. O reitor da UFC, Jesualdo Pereira Farias, também irá a Brasília. "Vamos apelar para que, tão logo se resolva os problemas, seja sinalizado alguma coisa para os servidores técnicos administrativos", adianta.

Os campi do Interior do Estado (Cariri e Sobral) foram decisivos na votação. Foram os votos desses professores que viraram o quadro, fazendo com que 174 votos rejeitassem o plebiscito proposto, contra 162 que queriam o contrário.

Das 58 universidades federais que adeririam à greve, 34 já recusaram a proposta do governo. Os professores pedem reajuste salarial, reestruturação da carreira e melhores condições de trabalho. Hoje, os servidores sairão em protesto em Fortaleza. A passeata começa às 8h e parte do pátio da Reitoria da UFC.

Impactos
De acordo com Jesualdo Pereira Farias, ainda não há como avaliar os impactos da paralisação. "Tenho 25 anos da universidade e é a greve mais forte que eu já vi", avalia.

Ele acrescenta que a universidade tenta manter os serviços essenciais, principalmente os hospitais. "O que tem sido prejudicado mesmo, até agora, é a aula que não tinha sido concluída, não tinha sido dada ainda. "Os projetos e o acompanhamento de obras sofreram um impacto grande. Pela primeira vez, este setor foi atingido", destaca.

Mesmo com a decisão de ontem, ele acredita que a greve está perto do fim. "A proposta do governo é uma sinalização muito forte de que ele quer contribuir com a educação superior", diz

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

CENAPET MUDARÁ DENOMINAÇÃO: CENAMEC !


Considerando os dois últimos anos de atuação da CENAPET, cooptada pelo MEC;
Considerando a total inação da CENAPET, especialmente em nenhum planejamento de Audiência Pública na Câmara e do Senado para discussão pública dos problemas que o PET enfrenta;
Considerando a atitude bovina da CENAPET diante da rotatividade ilegal de tutores sacramentada pelo AI-18 ...ops ... Portaria 976/2010;
Considerando o silêncio da CENAPET diante das irregularidades envolvendo cassação política de tutor, incluindo aí uma "fuga" do jornalista do O ESTADO DE S. PAULO, para evitar ser desmascarada pela grande imprensa;
Considerando o isolamento que a CENAPET mergulhou o PET, desligando-o de eventos da ANPG, UNE e, agora, SBPC (bem diferente do que ocorria pré-2010);
Considerando o número irrisório que a gestão 2010-2012 obteve, como chapa única, para a nova gestão 2012-2014,
a CENAPET será denominada de agora em diante de CENAMEC: Comissão Executiva Nacional do MEC.
Assim, como o governo já tem o PROIFES como marionetes, ficar agora a nova cooptada: CENAMEC !
Dias de tristeza!
Dias de indignação!
Dias de Ira!
É hora de fazer reviver o movimento que nos trouxe até aqui.
Basta!!!

NOSSOS CONTADORES DE ACESSO GEOGRÁFICO REVELAM - BRASÍLIA FAZ O SEU PAPEL: VIGIAR E PUNIR ...

(fonte: contador geográfico FEEDJIT aliado ao GOOGLE EARTH)